Túlio Augusto Blues Trio

Túlio Augusto Blues Trio_2019_Portugal_Brasil_guitar_harmonica_jazz.png

Túlio Augusto: voz, guitarras e harmonica

Bruno Rodrigues: baixo

Helvio Mendes: bateria

O músico brasileiro apresenta concerto com originais e obras de grandes nomes do blues, como Muddy Waters, B. B. King, John Lee Hooker, Albert King, Stevie Ray Vaughan, Little Walter e Willie Dixon.

 

“Compositor, arranjador e instrumentista de mão cheia. Assim pode ser definido o guitarrista Túlio Augusto”

Guitarload Magazine #85 (BRA)

“O guitarrista e gaitista autodidata Túlio Augusto compôs algo impressionante, blues, como Gershwin – indescritível, na verdade – que mostra que ele pode entrar na essência do jazz americano e entender como se ele fosse um dos fundadores do gênero. Tulio tem talento incrível e paixão profunda, que brilham através de sua música como um farol jazzístico. Sua trajetória é promissora para assistir!”

Debbie Burke, escritora de jazz (EUA)

“Blue Spell é uma bela mostra de seu talento e habilidade, com sonoridades transitando entre o jazz, o blues e a música erudita. Túlio é conhecido com mago devido à forma como sua concepção artística e visão do mundo se convergem”

Chico Castro Júnior, Jornal A Tarde (BRA)

 

“Revendo-se no conceito japonês, este Solitário é a jornada solitária, “diferente de sozinho” como Túlio nos faz questão de frisar, feita através dos lugares e histórias que ajudaram a construir um caleidoscópico mundo onde uma guitarra eléctrica e uma harmónica ajudam a fundir o blues com elementos de jazz, música brasileira (sobretudo nordestina) e portuguesa (baseada nas tradicionais composições para concertina)”

Fernando Gonçalves , BodySpace (POR)

 

Advertisements

The samurai journey

Túlio Augusto_Solitário_Jazz_Blues_Guitar_Harmonica_Gaita_Bodyspace.png

Saiu uma matéria no bodyspace.net sobre “Solitário”!!

“Dois anos depois de se ter estreado com Blue Spell, o músico e professor brasileiro sediado em Portugal Túlio Augusto prossegue a sua “musha shugyō” (jornada do samurai) com Solitário, idiossincrático e heterogéneo disco que estreará em Setembro deste ano.”

– Fernando Gonçalves